O vereador Corauci Neto (PFL) apresentou projeto de lei, aprovado pelos demais parlamentares, que institui em Ribeirão Preto “Semana da Família”. O Diário Oficial do Municipal (DOM), na edição de 1 de agosto, publicou a lei nº 10865/2006, sancionada (silêncio) pelo Executivo. De acordo com o projeto, fica instituída a Semana da Família a realizar-se, anualmente, na segunda semana do mês de agosto. Nesse período serão proferidas palestras, realizados debates e painéis visando à conscientização e esclarecimento da população em geral quanto à importância da família.

Ao justificar o projeto, o vereador expressa que o conceito de família tem evoluído ao longo dos tempos, quer nas suas funções enquanto sistema, quer nas funções de cada elemento que a compõe. A família tem sofrido transformações que ocorrem devido às mudanças sócio-culturais e tecnológicas cujas variáveis ambientais, sociais, econômicas, culturais, políticas e/ou religiosas têm vindo a determinar as distintas estruturas e composições da família.

“Assim sendo, poderá começar-se por referir que se verificou, que o conceito de família não é fácil de caracterizar, variando de autor para autor”, enfatiza o vereador que acrescenta: “Tal fato surge por ser a família a instituição mais antiga e primordial e também por a sua forma de estruturação ser determinada pelos aspectos culturais e pelas hierarquias axiológicas de cada sociedade.”

Como observa Corauci, existe cada vez mais um distanciamento do conceito tradicional de família, sendo que a família tradicional apresentava-se com uma imagem de grupo instrumental, mobilizado para a sobrevivência de um grupo mais numeroso e fortemente orientado pela lógica da transmissão de herança, garantindo, deste modo, a sua continuidade; enquanto que a família dos nossos dias se apresenta através de uma valorização da vida emocional e afetiva.

“No entanto, ‘historicamente’ a família dispõe de um modo de funcionamento ímpar – o amor – algo que não se adquire nas prateleiras de qualquer hipermercado e/ou centro comercial, mas supõe, idealmente, a gratuidade e a incondicionalidade. No entanto, apesar das inúmeras mudanças, algo permanece, ou seja, a preocupação com os filhos que são hoje criados com muito mais desvelo, amor, carinho e preocupações com o seu bem-estar e crescimento harmonioso”, conclui o vereador.

O vereador Corauci Neto (PFL) apresentou projeto de lei, aprovado pelos demais parlamentares, que institui em Ribeirão Preto “Semana da Família”. O Diário Oficial do Municipal (DOM), na edição de 1 de agosto, publicou a lei nº 10865/2006, sancionada (silêncio) pelo Executivo. De acordo com o projeto, fica instituída a Semana da Família a realizar-se, anualmente, na segunda semana do mês de agosto. Nesse período serão proferidas palestras, realizados debates e painéis visando à conscientização e esclarecimento da população em geral quanto à importância da família.

Ao justificar o projeto, o vereador expressa que o conceito de família tem evoluído ao longo dos tempos, quer nas suas funções enquanto sistema, quer nas funções de cada elemento que a compõe. A família tem sofrido transformações que ocorrem devido às mudanças sócio-culturais e tecnológicas cujas variáveis ambientais, sociais, econômicas, culturais, políticas e/ou religiosas têm vindo a determinar as distintas estruturas e composições da família.

“Assim sendo, poderá começar-se por referir que se verificou, que o conceito de família não é fácil de caracterizar, variando de autor para autor”, enfatiza o vereador que acrescenta: “Tal fato surge por ser a família a instituição mais antiga e primordial e também por a sua forma de estruturação ser determinada pelos aspectos culturais e pelas hierarquias axiológicas de cada sociedade.”

Como observa Corauci, existe cada vez mais um distanciamento do conceito tradicional de família, sendo que a família tradicional apresentava-se com uma imagem de grupo instrumental, mobilizado para a sobrevivência de um grupo mais numeroso e fortemente orientado pela lógica da transmissão de herança, garantindo, deste modo, a sua continuidade; enquanto que a família dos nossos dias se apresenta através de uma valorização da vida emocional e afetiva.

“No entanto, ‘historicamente’ a família dispõe de um modo de funcionamento ímpar – o amor – algo que não se adquire nas prateleiras de qualquer hipermercado e/ou centro comercial, mas supõe, idealmente, a gratuidade e a incondicionalidade. No entanto, apesar das inúmeras mudanças, algo permanece, ou seja, a preocupação com os filhos que são hoje criados com muito mais desvelo, amor, carinho e preocupações com o seu bem-estar e crescimento harmonioso”, conclui o vereador.

Fonte: http://www.camararibeiraopreto.sp.gov.br

0 comentários :

Postar um comentário