O projeto de remodelação do principal ponto de estrangulamento no trânsito de Ribeirão Preto - o trevo que interliga as rodovias Anhanguera, Abrão Assed, Antônio Machado Sant’Anna e Castelo Branco, na zona Leste - será anunciado segunda-feira, pelo governo estadual.

Mais de 80 mil veículos circulam diariamente pelo local, e motoristas enfrentam até 45 minutos de congestionamento para atravessar a rotatória nos horários de pico, entre 7h e 8h30, e das 17h às 18h30. Por hora, no local, são cerca de 8 mil veículos.

De acordo com o secretário de Obras, Abranche Fuad Abdo, o inicío das obras depende da autorização do governo estadual e da assinatura de convênio com o município.
"A Prefeitura ficará responsável por pequenas desapropriações e por eliminar interferências no local das obras", disse. O projeto vem sendo discutido há mais de dois anos pela prefeitura e Estado e deverá sair do papel no ano que vem.

Projeto
A reportagem teve acesso ao projeto que prevê a construção de oito viadutos e 20 alças de acesso e de retorno, totalizando um complexo viário de 11,8 km de extensão.

A rodovia Anhanguera, sentido SP-Ribeirão, se ligará com a avenida Castelo Branco em um trajeto sobre dois viadutos em pista dupla e alças. A mesma Anhanguera se interligará com a rodovia Antônio Machado Sant’Anna, sentido MG-Araraquara, passando debaixo de quatro viadutos.

Quem estiver em Ribeirão e quiser ir para Serrana, ou vice-versa, fará o percurso em pista dupla de forma direta, por cima de dois viadutos e por baixo de outros dois. Elaborado pela Autovias, a pedido da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), o projeto prevê passarela de pedestres, ciclovia, adaptação para portadores de necessidades especiais, escadas entre outros.

O custo total do projeto está avaliado em R$ 120 milhões. Procurada para comentar o assunto, a Autovias, por meio de assessoria de imprensa, informou que está aguardando um parecer do governo estadual.
fonte:  Jornal A Cidade

0 comentários :

Postar um comentário